ideias

powered by

Como empresas lidam com o Mundo Vuca

jon-tyson-PXB7yEM5LVs-unsplash

Levante a mão quem ainda não ouviu falar no termo Mundo Vuca? Tenho certeza de que uma parcela não sabe o que significa e a outra deve estar respondendo mentalmente que significa um Mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo. Mas, você sabe como este termo surgiu? E como ele impacta nas organizações?

Antes de começarmos a falar sobre o Mundo VUCA, quero te contar uma história. Em abril de 2009, o mundo declara surto global da H1N1. Apesar do medo, ainda parecia distante a possibilidade disso acontecer (pelo menos na minha cidade). No mês de julho daquele ano eu estava fazendo uma disciplina de férias com a duração de 15 dias. Foi aí que o medo tornou-se realidade. Quem conseguia ficava em casa; quem saía, se protegia. Lembro de presenciar falta de álcool gel nos mercados e farmácias. Empresas (que conseguiam e precisavam pois vivíamos ainda uma crise econômica) estavam dando férias antecipadas. E empresas que fabricavam álcool gel estavam a todo vapor. Tudo isso para tentar explicar um pouco como os eventos que acontecem no mundo impactam nossas organizações de formas diferentes e por isso precisamos estar preparados. 

Como surgiu o termo VUCA

Este termo surgiu pela primeira vez no relatório Training and educating army officers for the 21st Century: Implications for the United States Military Academy, escrito pelo Tenente Coronel Wayne Whiteman do United States Army War College em 1998. Após o colapso da União Soviética, este acrônimo foi utilizado pelas forças armadas dos EUA para demonstrar a percepção de um mundo multipolar, caracterizado por sua volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. O relatório refere-se a uma crise que viria a acontecer, o que se concretizou em 2008 e 2009. Neste documento há uma contextualização sobre as mudanças ocorridas no mundo e seus impactos (como a crise de 2008). 

O que significa VUCA

Para entendermos o que realmente significa VUCA, vamos definir cada palavra desse acrônimo:

Volatility (Volatilidade): Está relacionada com a natureza e a dinâmica das mudanças, a velocidades com que essas mudanças ocorrem.

Uncertainty (Incerteza): Está relacionada com a falta de preditividade, a surpresa, a falta de compreensão sobre a forma como os eventos ocorrem.

Complexity (Complexidade): Está relacionado às múltiplas forças, o caos, o barulho, à volta das organizações.

Ambiguity (Ambiguidade): Está relacionada a não relação direta entre causa e efeito, o não entendimento das situações.

Em um artigo publicado na Harvard Business Review de Nathan Bennett e G. James Lemoine, ambos professores de instituições de ensino superior americanas, eles aprofundam cada palavra do termo VUCA:

Volatility (Volatilidade):

Características: o desafio é inesperado ou instável e pode ser de duração desconhecida, mas não é necessariamente difícil de entender e o conhecimento sobre o assunto está muitas vezes disponível. 

Abordagem: Crie folga e dedique recursos à preparação – por exemplo, estoque de estoque ou compra excessiva de talentos. Essas etapas são custosas e seu investimento deve coincidir com o risco.

Uncertainty (Incerteza): 

Características: Apesar da falta de informações, a causa básica do evento e efeito são conhecidos. A mudança é possível mas não é certa.

Abordagem: Invista em informações – coleta, análise e compartilhamento. Isso funciona melhor juntamente com mudanças estruturais que podem fornecer monitoramento contínuo consistente de eventos do mercado ou potenciais ações dos concorrentes.

Complexity (Complexidade):

Características: A situação tem muitas partes interligadas ou variáveis. Algumas informações estão disponíveis ou podem ser previstas, mas o volume ou a natureza pode ser gigantesca para se processar/analisar. 

Abordagem: Aproveite a experiência analítica interna ou externa para ajudar a ‘simplificar’ a complexidade da situação. 

Ambiguity (Ambiguidade):

Características: As relações causais não são claras. Não existem precedentes. Você enfrenta “ desconhecido desconhecidos”.

Abordagem:  Experimente. Entenda  que a causa e efeito requer gerar hipóteses e testá-las.  Crie seus experimentos para que lições aprendidas possam ser amplamente aplicadas.

VUCA nos negócios

Seu uso no contexto de negócios surgiu após a crise econômica mundial (anos 2008 e 2009) com o objetivo de modificar a abordagem das áreas de liderança e gestão nas organizações. Para isso o VUCA tem sido amplamente utilizado no desenvolvimento das habilidades e competências de liderança nas organizações. Além disso, entender o mundo VUCA permite que as organizações percebam o momento que estão passando e o caminho que devem prosseguir no futuro e sua necessidade de adaptabilidade.

Para isso os professores Nathan Bennett e G. James Lemoine demonstraram por meio da análise de dois aspectos o quanto conseguimos prever os resultados de nossas ações e o conhecimento sobre uma situação classificando os elementos do mundo VUCA. conforme adaptação na figura abaixo. Dessa forma, podemos identificar, nos prepararmos e respondermos a eventos em cada um dos elementos do VUCA.

Fonte: Adaptação da ECC Hub do gráfico original de Nathan Bennett e G. James Lemoine

Volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade apresentam linhas tênues que organizações devem adotar em seu processo de planejamento e gestão de políticas. São conceitos que podem tanto levar a uma maior confusão mas quando aplicados tem como objetivo e foco melhorar a capacidade da organização de olhar e planejar o futuro. O conceito de mundo VUCA contribui para prepararmos nossos líderes e gestores com visão no futuro.

O mundo VUCA contempla significados e relevância em seu conceito que conectam-se com a forma como as pessoas reagem com acontecimentos em que necessitam tomar decisões, gerenciar riscos, promover mudanças e solucionar problemas. Assim, esses quatro elementos mostram como está o contexto atual das organizações possibilitando que estas se preparem para o futuro, desenvolvendo sua forma de resiliência e sustentabilidade com base em:

  1. Antecipação de dúvidas que criam determinadas condições
  2. Entendimento das consequências dos acontecimentos e das ações tomadas
  3. Compreensão e valorização da interdependência entre múltiplos fatores
  4. Planejar o futuro por meio de medidas concretas e acatar os desafios
  5. Análise e Ação nas oportunidades mais relevantes.

Diante do contexto do mundo VUCA, as organizações precisam mudar sua mentalidade perante o negócio, o que acaba por impactar em uma transformação do modelo de gestão. Os líderes devem estar constantemente atualizando suas competências para atender as necessidades do momento, o que leva a praticar a aprendizagem ativa, criatividade e inovação. (todas essas são habilidades já elencadas pelo World Economic Forum como sendo as três primeiras para 2022 e já comentadas no Blog da ECC Hub).

O Líderes e o Mundo VUCA

Como forma de reagir ao Mundo VUCA, os líderes devem possuir uma visão clara dos objetivos e metas da organização. Devem praticar a observação e escuta ativa compreendendo o que a organização tem a dizer. Para que isso aconteça, é primordial exercitar a comunicação com os profissionais dos mais diversos níveis hierárquicos da organização, pois possibilita uma visão sistêmica e diversidade de informações. E ainda, resgata e demonstra trabalho em equipe, empatia, colaboração, engajamento e pertencimento. 

A preparação é fundamental e para isso é preciso que o líder esteja munido de informações de forma ágil para que tome decisões mais assertivas. A sobrevivência no Mundo VUCA está aliada a termos como agilidade. Por isso, nos últimos anos, um dos assuntos mais comentados nos trending topics dos negócios é a metodologia ágil.

Especialmente, o momento que as organizações entendem a necessidade da mudança no mundo dos negócios e que necessitam mudar a mentalidade dentro da sua organização. Isso acontece somente por meio das lideranças, que precisam estar preparadas para enfrentar esse Mundo VUCA por meio da aprendizagem de novas habilidades e competências e ao aplicarem o protagonismo ágil como modelo de gestão.

Como forma de reação ao Mundo Vuca, Bill George, membro senior da Harvard Business School, aponta uma possibilidade de liderar utilizando o mesmo acrônimo, denominando VUCA 2.0:

  • Vision  (Visão): líderes e gestores de negócios hoje precisam ver através da lente do caos para ter uma visão clara para suas organizações. Assim, eles definem a verdadeira meta para sua organização: missão, valores e estratégia. Em torno dessa meta, que serve como um guia, deve ter clareza, evitando desvios de curso por negligência ou abandono. 
  • Understanding (Entender): os líderes, tendo sua meta e visão na mão, precisam compreender as capacidades e estratégias de sua organização buscando aproveitar as oportunidades que surgem rapidamente, agindo com seus pontos fortes, minimizando suas fraquezas. Evitar ouvir apenas fontes de infomação e opiniões que endossam sua própria visão acarreta em não vislumbrar outros pontos de vista. Os líderes devem aproveitar os diferentes pontos de vista, valendo-se inclusive de conversa com os clientes e colaboradores abrangendo e conectando-se com as mudanças existentes no mercado. Visite sua fábrica, loja, mercado e converse com as pessoas.
  • Courage (Coragem): os líderes precisam de coragem para enfrentar desafios e a tomada de decisões ousadas que acompanham riscos e muitas vezes ir contra todos. Para isso, é preciso que o líder não ande de cabeça baixa e utilize as técnicas tradicionais de gestão. Este novo momento pede novos modelos de gestão e que este líder evite críticas e assuma riscos. Sendo, que o maior risco é um líder que não tenha coragem para dar passos ousados. Vivemos a era dos ousados.
  • Adaptability (Adaptabilidade): os líderes precisam ser flexíveis como resposta a adaptação a esse ambiente em mudança ágil e constante. Os planos de longo prazo tornam-se obsoletos no momento que são aprovados. Portanto, há a necessidade de implantar táticas flexíveis como resposta de adaptação rápida às mudanças nos fatores externos, sem afetar o plano estratégico. Os líderes vivem o momento de ter vários planos de contingência a fim de lidar com eventos imprevistos.

Nossas organizações vivem no mundo VUCA e como forma de enfrentar esse cenário precisam implantar novos modelos de gestão como forma de resiliência e sustentabilidade. Para isso, é essencial que as organizações tenham líderes conscientes de seu papel, focados na missão e valores, capacitados para implantar ideias audaciosas com base em seus pontos fortes. Essas lideranças terão a capacidade de se adaptarem e garantirem a perpetuidade de seus negócios.

compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email