ideias

powered by

Desenvolvendo habilidades do futuro – ou melhor, do presente

brooke-cagle--uHVRvDr7pg-unsplash

Uma breve análise do mundo e das tão faladas habilidades do futuro. Que elas existem nós já sabemos, mas como podemos nos preparar para desenvolvê-las?

Ainda que seja difícil prever o futuro, uma coisa é certa: quanto mais olhamos para ele, mais percebemos que o crescimento exponencial da tecnologia e as novas demandas do mercado mudaram o perfil das organizações e a forma como atuam, impactando cada vez mais a maneira como nós iremos nos relacionar com o trabalho nos próximos anos. Isso é reflexo da Quarta Revolução industrial, que vem influenciando o modelo de negócios das indústrias e dos demais setores.

Novos modelos de negócios e novas formas de trabalho, exigem novas habilidades. O Fórum Econômico Mundial (WEF) de 2018 divulgou o The Future of Jobs Report, um relatório acerca do futuro do trabalho. Nele, o WEF traz um estudo sobre as habilidades em alta para 2022, chamadas de Habilidades do Futuro. São elas:

1.Pensamento analítico e inovação
2.Aprendizagem ativa e estratégias de aprendizagem
3.Criatividade, originalidade e iniciativa
4.Design e programação de tecnologia
5.Pensamento crítico e análise
6.Solução complexa de problemas
7.Liderança e influência social
8.Inteligência Emocional
9.Raciocínio, resolução de problemas e ideação
10.Análise e avaliação de sistemas

Fonte: WEF Report 2018

Certamente isso não é uma novidade. A todo momento somos inundados por uma avalanche de informações à cerca deste tema. Mas o que precisamos entender é que, de fato, precisamos nos preparar para este novo perfil. De tudo que possa parecer incerto, a única certeza é que quem não se preparar estará fadado a sucumbir, é um caminho sem volta.

As habilidades do futuro, na verdade, são habilidades do presente, pois o velho jargão da publicidade se tornou verdade: “o futuro é agora”, é algo que já existe. Empresas estão adotando a inteligência artificial nos processos de seleção para buscar os profissionais mais aderentes e principalmente tenham a capacidade de usar o capital intelectual para gerar valor ao negócio.

Mas como desenvolver as habilidades do futuro (ou melhor, do presente)?

Esteja aberto para mudar

Estar aberto a mudança é o ponto de partida. Esteja sempre aberto para absorver novos conceitos e receber críticas. A mudança deve partir sempre de nós mesmos .

Seja Curioso

Volte a ser criança, faça perguntas, seja questionador. Pergunte a si mesmo, sempre que possível: “qual o sentido” de fazer isso ou aquilo. Saber fazer perguntas é a chave para boa parte das respostas que buscamos.

Aprenda a aprender

A capacidade de aprender será cada vez mais importante, mas tenha em mente que ainda mais importante é a capacidade de ressignificar, de desaprender para deixar o novo entrar.

Desenvolva a aprendizagem ativa

Busque o conhecimento de maneira ativa e não passiva, entenda o que você precisa aprender e busque novas formas de aprendizado. Construa o seu conhecimento.

Aqui na ECC, nós trabalhamos com a aprendizagem ativa em todos os nossos cursos, treinamentos e mentorias, justamente para preparar os profissionais que passam por aqui, para esse momento.

Desenvolva seu lado criativo

Esqueça aquele conceito que só os artistas são criativos! Todos nós, sem exceção, somos criativos, basta desenvolver nossa mentalidade criativa. Como? Fazendo pequenas mudanças no que você faz em seu dia a dia, saindo do “automático”.

Escute sua música favorita, faça um caminho diferente para ir ao trabalho, observe o “mundo ao seu redor”, interaja com pessoas diferentes de você, visite lugares que tenham atividades culturais, faça palavras cruzadas, jogue aquele “joguinho” que era seu favorito na infância, faça coisas que deixem seu pensamento leve, como fazer um bolo – encontre o que funcionará para você.

Desenvolva sua Inteligência Emocional

Pratique o autoconhecimento e fique atento às suas emoções. Somos movidos pelos nossos sentimentos. Primeiro sentimos, depois pensamos. Aprenda a identificar as emoções em si e em outros e como usá-las de maneira inteligente.

De acordo com uma pesquisa da consultoria americana Talent Smart, 90% dos profissionais mais bem avaliados pelas empresas, têm bom controle de suas emoções. Reflita sobre quais emoções têm dificuldade em controlar e quais têm dificuldade em expressar, e em que momentos isso acontece.

A inteligência emocional desenvolve as competências socioemocionais, como a empatia e a influência, imprescindíveis para trabalhar com outros, criar sinergia, inspirar e catalisar mudanças.

Aprenda a aprender

A capacidade de aprender será cada vez mais importante, mas tenha em mente que ainda mais importante é a capacidade de ressignificar, de desaprender para deixar o novo entrar.

compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email